Archive for the ‘ Introduções ’ Category

O Astral

Durante toda a existência da vida, ao longo da história da humanidade e da vida extraterrestre, sofremos influências de seres desencarnados. Enquanto mergulhamos no oceano de carne, “eles” ficavam na superfície nos vigiando, às vezes, alguns nos afastavam da dor e do sofrimento, em outras vezes, alguns nos levavam tanto para o sofrimento como a dor.

Todos somos mergulhadores, e este mundo um oceano. Assim sendo, necessitamos de roupagem especial, que nada mais é que nosso corpo de carne, para mergulhar neste mundo material. Ao mergulharmos aqui, nos esquecemos, na maioria das vezes, o mundo do qual viemos. E por causa dessa amnésia, provocada pelo choque e pelo vício re-encarnatório, passamos a pensar e acreditar através do tempo, que esse mundo “tão pequeno” é a nossa única casa. Nem se quer imaginamos que este mundo não é mais que uma escola e que estamos aqui apenas de passagem. Sentimos, mas não vemos.

Embora não percebemos, mas os que estão em dimensões diferentes, seja astral, mental ou etérico, nunca se desligaram ou se afastaram de nós,  isso por uma ligação mental. Geralmente não os vê-mos, a não ser que existam faculdades extrasensoriais, mas eles podem nos ver. Não podemos ouvi-los, ao menos que tenhamos a clariaudiência ou a telepatia vibratória.

Esses seres nos influenciam através de diversos fatores:

  • Através de nossas emoções;
  • Pensamentos;
  • Sensações;
  • Acontecimentos de nossas vidas.

Mas como estamos vivendo essa influência do astral, será que ouve um crescimento, ou uma diminuição de suas forças, houve por acaso alguma mudança? Passamos a ter alguma liberdade ou continuamos escravos de nossos hábitos, defeitos e erros?

Quando olhamos o passado, mas o passado próximo, de apenas algumas décadas, notamos que o mundo mudou, o tempo parece ter ser tornado mais rápido, nossas vidas estão mais aceleradas, nossas emoções e sentimentos se tornaram completamente diferentes e difusos, a dor aumentou, a violência e pensamentos negativos de autodestruição. Ou seja, estamos vivendo em um mundo que não é igual ao mundo que conhecemos no passado.

Estamos vivendo um momento único na história da humanidade, um marco na nossa história, o que nos exige que permanecemos cada instante lúcidos e acordados da importância desse fato. Fato o qual, não se repetiria mais e devemos aproveitar cada instante desses acontecimentos para a nossa própria evolução.

Quando falamos de influências do plano astral, devemos saber que existe o astral superior e o astral inferior, mas ambos estão a um grau de evolução menor que a nossa do plano tridimensional (3D). Onde todas as energias são de formas mais densas e onde se encontram os desencarnados e os perdidos.

Durante a nossa existência neste mundo, em encarnações passadas ou mesmo em nossa atual vida, conhecemos pessoas e muitas já desencarnadas e hoje vivem no astral, nos observam, simpatizam-se ou não com o que somos e com o que fazemos.

Quando nos reunimos para estudos relativos a nossa evolução espiritual, os seres que simpatizam com esse ensinamento se aproximam para obter informações e aprendizado a nível positivo, porque eles também são vítimas de influências negativas e falhas energéticas perdendo assim muitas oportunidades para evoluir. Mas existem também aqueles que implicam conosco, se aproximam para nos afastar do caminho da luz.

“Existem mais entidades extra-físicas entre nós do que pessoas encarnadas”

Um exemplo claro dessa situação, é de uma pessoa que busca a verdade, e vai a uma palestra. Se esta pessoa vai acompanhada de uma entidade que foi prejudicada ou se sentiu prejudicada de uma forma ou de outra no passado ou até mesmo em vidas passadas e guarda um ressentimento e um desejo de vingança, e também não lhe interessa o assunto da tal palestra, ela fará com que a pessoa sofra errando e isso acontecerá se a mente e a consciência da pessoa estiver desatenta ou adormecida. Essa pessoa com toda certeza ira abandonar o caminho.

Se a consciência for estimulada a acordar, a pessoa começará a distinguir entre o certo e o errado, entre o bem e o mau, ora tendo discernimento de certo e errado, a pessoa passa a errar menos, e o sofrimento diminui.

Se a consciência continuar obscura, a entidade afastará a pessoa não só das palestras, mas de livros, religião, orações e de qualquer filosofia ou crença, fazendo aumentar a dor e o sofrimento, diminuir seu grau de evolução e de consciência.

Temos em nosso corpo mais de 2 mil centros de energia psíquica, denominadas Chakras, onde essas energias são armazenadas. A função do chakra não é só armazenar energia, e sim armazenar, captar e distribuir toda essa energia para todas as funções vitais, psíquicas e mentais, além de ser voltada também para a procriação e a criação.

Basicamente temos dois centros de captação de entidades astrais: do lado esquerdo de nosso corpo, na lateral esquerda de nosso estômago, onde está localizado o chakra “ESPLÊNICO”, responsável pela captação das emoções e pensamentos dessas entidades extra-físicas ( entidades astrais – de nível evolutivo inferior ), também se conectam conosco para o ato de incorporação, que não é a entidade astral entrar em nosso corpo, e sim apenas se ligar neste chakra.

O segundo centro de captação, é o chakra frontal, localizado na fronte de nossa testa, utilizado apenas quando seres extra-físicos, que não vivem no astral, de grau de evolução maior que o nosso ( seres extraterrestres ), querem entrar em contato ou se comunicar conosco, para passarem informações e ensinamentos e até mesmo cargas de energias positivas para o nosso desenvolvimento.

Quando buscamos a compreensão de alma e espírito, erroneamente encontramos falsas interpretações, o que chamamos de almas ou espíritos nada mais são que seres humanos, de forma menos evoluídas sem a roupagem do corpo físico, mas com algum tipo de veículo de manifestação criado e gerados para a sua locomoção nestes mundos inferiores ( astral ). Que são chamados também de corpos ou veículos astrais, que de acordo com o grau de evolução variam de um até sete corpos.

Quando uma entidade astral adquirir os sete corpos, ela automaticamente deixa de ser um ser do astral e passa a habitar outra dimensão, a qual chamamos de mundo tridimensional.

As entidades astrais, para se comunicarem conosco, necessitam da utilização de nossas energias, como os campos de manifestações são diferentes, ou seja, as dimensões são diferentes, há necessidade do uso de energias, e claro, de nossa energia física ou plasmática.

“Assim como é em cima, é em baixo”

O último corpo formado é chamado de duplo, que é como uma matéria que une por exemplo, o nosso físico com o extra-físico, esse corpo é encontrado em todos os níveis, astral, físico, etérico, mental, etc.

Nos planos ou dimensões, chamamos estes corpos da seguinte forma: Duplo Astral, Duplo Etérico, Duplo Mental.

Existem energias em todos os planos dimensionais, energias estas que são captadas pelos nossos chakras, transformadas e trabalhadas até se transformarem em energia vital, que é distribuída para o nosso corpo. Quando essa energia vital se mistura com outros tipos de energias, se transformam em energia plasmática, que ao se misturar com outras energias existentes, se transformam então, em energia etérica ( duplo etérico ), que nos proporciona manifestar-mos no plano astral. E utilizando dessa mesma energia, as entidades astrais influenciam as nossas vidas.

Os chakras, se estiverem desalinhados ou desequilibrados (veja como estabilizá-los aqui ), não desenvolverão suas funções de captar e trabalhar corretamente essas energias, causando danos em nosso corpo físico, além de causar danos a nossa evolução e compreensão das coisas extra-físicas, resultando em problemas psicológicos e mentais.

As entidades astrais, para se comunicarem e manipularem a energia das pessoas, devem estar no mesmo ciclo vibratório da pessoa, ou seja, o chakra é como um pequeno vórtice, que gira a uma velocidade indeterminada, a entidade astral, deve estar com o seu chakra na mesma freqüência para acoplar o seu chakra ao nosso. Mas o chakra dessas entidades astrais, se parecem com um prolongamento de seu veículo astral, mais parecido como tentáculos ( um apêndice ).

Dependendo do grau de percepção da pessoa, as entidades astrais, lançam descargas elétricas que interferem no nosso sistema nervoso, deixando parcialmente sob seu controle, que são os casos em que sofremos influência negativas do astral. No caso da incorporação, a pessoa deixa a entidade astral, dominar mais facilmente sua mente e seu corpo, fazendo assim, as vontades das entidades astrais.

Quando uma pessoa se aproxima, e passamos a sentir raiva, ódio ou outro sentimento negativo qualquer, estamos sofrendo influências negativas dessas entidades astrais, que pode levar à conseqüências de agressão mental, verbal ou fisicamente, e em casos extremos, até mesmo a tirar a vida, em função da raiva das entidades por determinada pessoa.

Como não são formados de matéria física, essas entidades necessitam de pessoas que estejam vibrando em frequências muito baixas, semelhantes a elas, para dominarem essas pessoas para que possam ser manipuladas como bonecos de fantoche. Embora algumas pessoas podem perceber que foram manipuladas e outras não, imaginando assim, que tudo partiu de sua própria consciência.

Esta situação nos mostra que devemos estar sempre vibrando em frequências superiores para evitarmos ataques e domínios das entidades astrais, portanto, não somos vítimas, mas sim, vibramos em frequências semelhantes, e deixamos que utilizem de nossas energias.

Existem nos planos superiores, seres e mestres que são os nossos protetores, mas por nosso próprio livre arbítrio, a lei do carma e afinidade, não podem fazer nada ao nosso socorro, como se estivessem de braços cruzados e amarrados.

A lei da afinidade existe, a sua função é atrair todos que possuem o mesmo tipo de vibração e emoção. Entidades astrais com a mesma emoção e vibração, serão atraídos e os seres de luz não poderão fazer exatamente nada, porque isso foi algo que permitimos, a decisão foi apenas nossa.

Com o tempo, podemos irmos nos livrando das amarras que nos ligam com essas entidades astrais, mas isso é uma batalha longa, que se vence com o despertar da consciência ou transcendência conscencial. Isto é em outras palavras, vibrarmos sempre acima do nível vibratório das entidades astrais.

“Mostre-me com quem andas, que mostro quem és”

O que devo fazer?  Que caminho devo tomar?  Qual é a decisão correta?

Estas perguntas geralmente feitas mentalmente, são perguntas de auxílios que recebemos de seres extra-físicos de luz ( não do astral, de dimensões superiores ), que servem para auxiliar nossa  vida no caminho da luz.

Em contra parte, também recebemos perguntas inferiores, que servem para nos afastarmos da luz, ou seja, a história do anjinho e do diabinho de nossas consciências, podemos determinar que é real, mas NÃO são habitantes da mesma dimensão ou plano dimensional.

Dependendo do caso, existem pessoas que recebem visitas dos seres extra-físicos de luz, em formas de aparições ou até mesmo de corpo físico, para orientar e ajudar determinadas pessoas ou grupos em estado de evolução.

A Lei é Única, e podemos receber informações não somente de seres desencarnados, mas sim também de seres de evolução superior, que já não necessitam de roupagem física.

 

 

 

Anúncios

Técnicas – Por que fazê-las?

A Terra está vivendo um período de mudanças, passando de um ciclo para outro, o que resultará em grandes transformações. Para nós serão transformações tanto físicas como espirituais e também transformará a Terra que conhecemos hoje.

Nós vivemos na 3ª dimensão, uma dimensão que constitui uma densidade corporal mental e emocional que impõe uma série de restrições físicas, e fazem com que os nossos corpos sintam determinadas emoções e distúrbios, pela lentidão da circulação da energia psico-elétrica nos canais de força. Quando as vibrações dos corpos vão se acelerando em saltos quânticos, a pessoa começa a vibrar numa freqüência mais sutil do que a 3ª dimensão. É um processo individual em que cada pessoa se aprimora, se educa, controla os pensamentos, as emoções e começa a vibrar numa freqüência mais sutil.

Essa passagem vai ser iniciada quando o setor do nosso sistema solar, junto à nossa galáxia, passar por um portal dimensional. A Terra se prepara para ascender à 4.ª dimensão. Quando o nosso planeta passar por esse portal dimensional, tudo que existe na superfície da 3ª dimensão irá para a superfície da 4ª dimensão, e da 4ª dimensão irá para a 5ª, e assim sucessivamente, inclusive os seres humanos.

Quando houver a passagem dimensional, a maioria dos habitantes da Terra não suportará a vibração. Os espíritos sombrios, trevosos, que têm prazer no mal, no egoísmo, não suportarão as energias vindouras, porque é uma energia tão alta que produziria como que choques eletromagnéticos no corpo físico das pessoas, que provocariam a morte instantânea por desintegração. Para que isso não aconteça, aqueles que não estiverem sujeitos a passar pelas severas provas, serão retirados e colocados em local seguro pelos seres vindos de outros planetas, constelações, galáxias e até mesmo universos, que por amor estão aqui para ajudar os irmãos mais atrasados, que somos nós aqui do planeta Terra, para nos ensinar o respeito às leis superiores, procurando não interferir diretamente nas nossas ações, porque sabem que temos o livre-arbítrio, nosso carma e as nossas escolhas.

É a vibração que determina o nível evolutivo de cada Ser. O Ser não dá salto quântico por causa de medo, o medo não transforma ninguém, é a consciência, o amor que transformam as pessoas, é a compreensão da necessidade de se auto-aprimorar.  A maioria das pessoas não está preparada porque não trabalhou o seu lado espiritual.

As técnicas encontradas aqui, ajudam no processo de aumentar sua vibração, realizando exercícios necessários, como as estabilizações dos chakras e da aura, trabalhando as funções dos chakras, as expansões, e outras que estão por vir. Todas são importantes para nos auxiliar a dar este novo passo , e individualmente alcançar seu nível mais sutil de vibração.

Aprofundaremos este assunto sobre a transição logo, mas o propósito desse texto é trazer a sua consciência o por quê de realizar as técnicas passadas aqui.

 

Conhecendo os Chakras

Chakra é uma palavra que vem do Sânscrito e significa literalmente “roda”. Seu aspecto é como um vórtice rodopiante de energia, e temos centenas deles em nosso campo energético. Ao longo da coluna vertebral, e posicionados em conexão com as principais glândulas do corpo-humano, estão os 7 principais chakras, com diâmetro que varia de 5 a 10 centímetros, os quais podem ser reequilibrados na aplicação de terapias ou técnicas energéticas, imposição de mãos, terapia floral , cristais, Reiki, etc.

Eles estão envolvidos na captação das energias que aproveitamos para a nossa sobrevivência e desenvolvimento, transmutando-as em energias utilizáveis para nossa estrutura. Atuam como transformadores desta energia, reduzindo sua frequência vibratória para adequá-la a um nível compatível conosco. A energia da vida move-se através destes centros produzindo diferentes estados bio-psíquicos.

Além dos 7 principais, destacam-se também o Chakra Umeral (nas costas), responsável pelo trânsito natural das energias; e os Chakras Adicionais (nas palmas das mãos e nas solas dos pés) que permitem a troca de energia com o Cosmos e com o planeta Terra.

As principais funções  dos Chakras são:

  • Revitalizar cada corpo aural ou energético e com isso o corpo físico;
  • Provocar o desenvolvimento de distintos aspectos da autoconsciência, pois cada chakra está relacionado com uma função psicológica;
  • Transmitir energia entre os níveis aurais já que cada camada progressiva existe em oitavas de frequência sempre crescentes.


Os 7  Chakras Principais

Chakra – Básico ou Raiz (Muladhara)

É o primeiro chakra (conhecido como Chakra Base ou Raiz), está situado na base da espinha dorsal e tem uma cor vermelho-alaranjada. Relaciona-se com o poder criador da energia sexual. Irradia 4 raios ou “pétalas” e tem como função proporcionar energia sexual, bem como penetrar no sangue e manter a temperatura corporal. É também onde a kundalini (que falaremos noutro artigo) está adormecida.

 

Chakra – Umbilical ou Sexual (Svadhisthana) – Chakra Esplênico

O segundo chakra também chamado esplênico, sacro ou do baço, é responsável pela energização geral do organismo, e por ele penetram as energias cósmicas mais sutis, que a seguir são distribuídas pelo corpo. Irradia em 10 direcções. Apresenta-se com várias tonalidades de vermelho-amarelado e algum verde (vindo do chakra do baço). Este é o responsável pelos sentimentos e emoções em geral. Quando funciona em pleno, podemos ter percepções sobre pessoas ou locais, muitas vezes sem percebermos porquê.

 

Chakra – Plexo Solar (Manipura)

O terceiro chakra (conhecido como Chakra do Plexo Solar) localiza-se na região do umbigo ou do plexo solar, e está relacionado com as emoções. Este chakra tem 10 raios e apresenta uma tonalidade amarela, daí uma das suas relações com o sol. Este chakra é também particular no facto de receber todos os glóbulos de energia, desintegrá-los nas suas componentes e enviá-los para outros chakras bem como outras partes do corpo físico. O desenvolvimento deste permite a viagem em corpo astral em estado consciente.

 

Chakra – Cardíaco (Anahata) – Chakra do Coração

O quarto chakra situa-se na direção do coração. Relaciona-se principalmente com o timo e o coração. Sua energia corresponde ao amor e à devoção, como formas sutis e elevadas de emoção. Tem 12 raios e apresenta uma coloração verde e amarelo-dourado. Recebe o raio amarelo do chakra do baço. O raio amarelo é lançado para o sangue, conduzido-o a todo o corpo, apesar do alvo principal ser o chakra do alto da cabeça. No cérebro cria condições para o pensamento filosófico e metafisico. Reage no corpo denso permitindo sentir as alegrias e tristezas, bem como reproduzir em si mesmo os sentimentos de outrem.

 

Chakra – Laríngeo (Vishuda)

O quinto chakra fica na frente da garganta e está ligado à tireóide. Relaciona-se com a capacidade de percepção mais sutil, com o entendimento e com a voz. Apresenta um aspecto azul brilhante e expele 16 raios. Este chakra recebe o raio índigo do chakra do baço e separa-o, onde o azul claro atravessa este chakra e o azul e o violeta são direccionados para o cérebro. Ao funcionar, este chakra proporciona claraudiência (ouvir sons e vozes).

 

Chakra – Terceiro Olho – Frontal (Ajna)

O sexto chakra situa-se na zona da glândula pituitária (entre os olhos, onde os hindus usam a pinta na testa, denominada de Bindi). Apresenta-se nas cores violeta e azul-índigo. É um chakra de 96 raios, e quando desenvolvido, permite perceber a natureza e forma dos objectos astrais, sendo denominado por clarividência. Esta clarividência nota-se quando o iniciado começa a ter visões, mesmo acordado.

 

Chakra – Coronário (Sahasrara)

O sétimo é o mais importante dos chakras, situa-se no alto da cabeça e relaciona-se com o padrão energético global da pessoa. Também chamado por lotus de mil pétalas, este chakra contem 960 raios. Recebe do chakra da garganta o raio violeta e o amarelo do chakra cardíaco (Branco dourado (12 pétalas centrais) e Violeta (960 pétalas restantes). Este chakra tem uma constituição um pouco diferente, visto ter o vórtice exterior bem como um interior, dando a tonalidade branca (do exterior) e dourada (do interior). O despertar deste chakra permite ao homem deixar o corpo físico em plena consciência.